21/01/2019

Envelhecer, estamos prontos?

Por Sheila Marciani Geraldo

Quando falamos em envelhecer lembramos de dois fatos importantes: em primeiro lugar, a expectativa de vida cresce cada vez mais no Brasil e no mundo. Portanto viveremos mais e mais. Em segundo lugar, como ficaremos na parcela dos 50% da população que talvez não desenvolva a doença de Alzheimer?

casal na vista panorâmica

Segundo o Neurologista Fabiano Moulin (saiba mais), ou você tem chances de desenvolver a doença (não são só fatores genéticos) ou cuidará de alguém que adoeceu. Parece um tanto assustador pensar no futuro com esse fantasma rodando a nossa volta, mas existem meios de retardar o aparecimento e até reduzir significativamente as chances de desenvolver a doença de Alzheimer: cuidando do nosso cérebro!

Para cuidar do nosso bem maior e mais egoísta – o cérebro – precisamos fazer aquilo que já estamos cansados de saber e concordar, mas que muitas vezes só se torna um hábito quando levamos um susto do médico. Alguns cuidados e prevenções importantes para envelhecer de forma saudável que devem sair daqui direto para a prática:

Alimentação Saudável

Família preparando almoço saudável na cozinha

Comer frutas e legumes com frequência e substituir os lanches entre as refeições por algo não industrializado é uma prática importantíssima. Seguir uma dieta não é somente para quando estamos acima do peso. Ter nas refeições um alimento de cada grupo é pensar na longevidade. Saiba mais sobre alimentação saudável aqui. Envelhecer é uma virtude de poucos, aproveite!

Exercício Físico

Duas mulheres andando de bicicleta

Sim eu sei que o exercício físico é um hábito importante, isso não é novidade. Pois é, mas com que frequência você faz? O indicado é no mínimo 3 vezes por semana. Portanto, vá passear pelo bairro a pé, brinque com as crianças, pratique algum esporte, dance, ria com os amigos ou frequente uma academia. Mas mexa-se hoje, amanhã e depois também.

Leia e Escreva

Homem lendo no banco da praça

Ler nos faz viajar, conhecer vários lugares sem sair do lugar. Nos faz desenvolver a criatividade e a imaginação, enriquecer nosso vocabulário, conhecer culturas, histórias, tecnologias e criar memórias incríveis. Por isso, leia mais!

Escrever nos faz transformar essas memórias de curto prazo em longo prazo. Faz com que criamos um mundo novo, só nosso. Engana-se quem pensa que somente ler te faz escrever bem, mas não. A prática e o hábito da escrita são essenciais. Sempre!

Aprenda algo novo

Homem em casa mexendo no notebook

Nosso cérebro é preguiçoso e egoísta, quer ficar sedentário o maior tempo possível. Quando algo se torna uma rotina, o cérebro executa no automático. Por isso, falamos que faxinar a casa, ou cortar a grama não são exercícios físicos: o cérebro está prevendo esta atividade, e dessa forma, o gasto calórico é muito menor.

Precisamos tirá-lo da rotina, fazer com que trabalhe bastante, busque memórias, crie sinapses e aprenda algo novo. Aprender um novo idioma por exemplo, retarda em 30% o surgimento da doença de Alzheimer, segundo o neurologista Leandro Teles.

Se você gosta deste assunto e quer viver por muitas e muitas décadas como eu, lhe indico o livro “Antes que eu me esqueça” do neurologista Leandro Teles. O livro é escrito para iniciantes no assunto, trata de técnicas, hábitos e dicas para afiar a mente e aperfeiçoar a memória. Conheça como as memórias se formam e quais os melhores hábitos a desenvolver.

Utilize a tecnologia para o que ela foi criada – melhorar a qualidade de vida dos seres humanos. Pesquise, leia, divirta-se, conheça lugares e pessoas na internet. Faça um bom uso desta ferramenta e não deixe seu cérebro refém de algo.

Talvez você também goste...